Seguidores

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Meu coração



De repente, dei-me conta do dia
Aberto; tão repleto de andorinhas
Voando ao sol. Um pleno céu, de linhas
Que se acendem azuis... Ah, alegria!

Num animado jardim, o verão,
Ainda com borboletas e flores
Que juntas anunciam os amores
Do outono, soprando em prontidão.

E como a manhã faísca inteira!
Mas, meu amor, lembra-te de voltar,
Pois a saudade ateia frio ar!

Sol! Meu coração é uma fogueira...
E quando ele se incendeia assim...
Exige as mãos de meu amor em mim...


3 comentários:

Cristiano Marcell disse...

Muito bom, minha cara!

Sonetos são lindos, lógico, sempre que bem escritos como o seu!

Muita Paz!

Cadinho RoCo disse...

Muito legal o gesto saudade das mãos do amado.
Cadinho RoCo

Luiz Alfredo disse...

Uma bela forma de poetar
um belo soneto
uma forma bonita de declarar
seu amor a natureza.

Luiz Alfredo - poeta